Author Image
facebook

Passageiro do Futuro

Implantado pela primeira vez em 2001 em Bangu, está há 15 anos, em sua 19a edição, oferecendo oficinas de artes cênicas capacitando jovens técnicos em sonorização, iluminação, figurino, cenário, caracterização, interpretação e preparação corporal e vocal. Em geral alunos da rede pública, entre 14 e 21 anos. Com formato itinerante, permanece ao menos 2 anos em cada comunidade, já atuou em Vila Aliança (Bangu), Vila Kennedy (Bangu), Água Santa, Del Castilho, Rio das Pedras, Andaraí, Engenho de Dentro e há três anos ocupa em parceria com o Sesi/ Firjan o prédio do Cemasi na Ladeira dos Tabajaras (Copacabana). Inúmeros Passageiros estão atuando no mercado do entretenimento, na música, no teatro, na televisão, na moda, entre outros segmentos. Mais de 53 comunidades visitadas com a circulação dos espetáculos, em um total de 190 apresentações, já beneficiamos aproximadamente 67.670 pessoas e 1.400 jovens foram atendidos diretamente em quinze anos de projeto.

CRÔNICAS DA CIDADE (2009) Andaraí

A peça CRÔNICAS DA CIDADE é uma seleção de crônicas de autores brasileiros consagrados, como Carlos Drummond de Andrade, Luís Fernando Veríssimo, Carlos Eduardo Novaes e José Carlos Oliveira, roteirizadas de forma a identificar o espetáculo com a realidade dos atores, participantes do Projeto Passageiros do Futuro.

As crônicas são interligadas por “situações de rua”, onde personagens típicos simbolizam o dia a dia do nosso país. Dessa forma, trazemos ao teatro, como abordagem principal, uma grande “mistura” que retrata a realidade de nosso país.

Contamos as histórias de pessoas, seus sentimentos e questionamentos, onde o povo, as raças, as classes sociais clamam pelos mesmos ideais: Comunicação, sociabilização, respeito e integração.

Roteiro e adaptação – Márcia Rosado Nunes e Seleção de crônicas – Márcia Rosado Nunes e Helena Vieira.

PASSAGEIRO DO FUTURO CAPACITA MAIS UMA TURMA EM ARTES CÊNICAS E EXCURSIONA COM NOVA PEÇA NO RIO

No palco ou na coxia, jovens do Morro do Andaraí e adjacências são as estrelas da montagem “Crônicas da Cidade”, que homenageia grandes nomes da literatura brasileira.

O projeto Passageiro do Futuro coloca na estrada, no mês de outubro, a peça “Crônicas da Cidade”. Resultado do trabalho de capacitação em artes cênicas realizado junto a 60 jovens dos Morros do Andaraí, Cruz, Borel, Turano, entre outros, na Zona Norte do Rio, o espetáculo retrata situações típicas do cotidiano brasileiro, tendo como fio condutor crônicas dos consagrados autores Carlos Drummond de Andrade, Luís Fernando Veríssimo, Carlos Eduardo Novaes e José Carlos Oliveira. Implementado em 2001 pela atriz e produtora, Juliana Teixeira, o itinerante projeto Passageiro do Futuro oferece oficinas técnicas e de interpretação em artes cênicas a jovens de comunidades do Rio, tendo atendido cerca de 400 pessoas nesse período.

Em Crônicas da Cidade, os jovens atuam em todas as áreas técnicas da montagem, bem como nos palcos. À frente ou atrás das cortinas, são eles que dão vida aos personagens, desenvolvem figurino, cenário e maquiagem; além de cuidar da iluminação e sonorização. “Esse é o diferencial do projeto. Aqui, os jovens podem demonstrar talentos em diferentes áreas do teatro. Eles saem com um conhecimento técnico que pode se transformar em profissão e garantir renda. Temos muitos casos de sucesso dentro do projeto”, explica Juliana Teixeira, acrescentando que a peça vai excursionar por oito locais, entre escolas e teatros, sempre com entrada franca. “Faremos apresentações em escolas da rede municipal e estadual, teatros da rede SESC, além do Planetário da Gávea, do Centro de Artes Calouste Gulbenkian e Instituto Benjamin Constant”.

Os jovens participaram, inclusive, da seleção das crônicas utilizadas no espetáculo. Juntamente com os professores, eles escolheram aquelas que consideravam mais adequadas ao tema, que fala sobre as figuras que caracterizam o espaço público no país. “A seleção e roteirização foi feita de forma a aproximar o espetáculo da realidade dos participantes do projeto. As crônicas são interligadas por situações de rua e a peça retrata a mistura de raças, classes sociais, sentimentos e questionamentos que convivem nas ruas do Brasil”, explica a Márcia Nunes, responsável pelo roteiro adaptado e pela direção.

O Passageiro do Futuro: 8 anos de arte e cidadania

Há nove anos em atividade, o Passageiro do Futuro é desenvolvido pela produtora Nova Bossa em comunidades de baixa renda da cidade do Rio. Pelo terceiro ano consecutivo, é patrocinado pelo Instituto Votorantim. Itinerante, já formou turmas em Vila Kennedy, Água Santa, Engenho de Dentro, Vila Aliança e, agora, Andaraí e adjacências – beneficiando mais de 400 jovens no total. O público-alvo são jovens, de 16 a 21 anos, matriculados na rede pública de ensino. A metodologia une sete oficinas de capacitação em artes cênicas – cenografia, iluminação, sonorização, maquiagem, figurino, interpretação e expressão corporal e vocal – a aulas de reforço escolar, visitas guiadas a teatros e centros culturais, palestras e assistência social. O objetivo é unir cultura e educação para abrir novas frentes de trabalho no mercado de entretenimento e reduzir a evasão escolar, melhorando o rendimento do aluno.

“Nossa meta maior é ampliar as possibilidades de trabalho para estes jovens. Podemos aproveitar a força do mercado de entretenimento do Rio e prepará-los para atuar nos diversos segmentos, seja música, cinema, artes visuais ou moda. Além disso, percebemos um impacto importante na vida da comunidade, pois os estimulamos a aplicar os ensinamentos para melhorar a vida cultural local, e na aproximação desses jovens no núcleo familiar”, completa Juliana.

Juliana Teixeira é atriz e produtora. Com quase vinte anos de carreira, Juliana tem extensa experiência no teatro e participação em grandes projetos no cinema e na TV. Na televisão, estreou na TV Globo, na novela Vida Nova, de Benedito Rui Barbosa, e participou das produções Lua Cheia de Amor, De Corpo e Alma, Sete Pecados, Eterna Magia e O Profeta. No cinema, está em produções brasileiras e estrangeiras, dentre elas O Homem Nu, de Hugo Carvana, e Matou a família e foi ao cinema, de Neville de Almeida. Como produtora, realizou os curtas A Breve História de Candido Sampaio (2003), Ratoeira (2004) e Deus Vai nos Ajudar (2008). No teatro produziu e protagonizou cinco espetáculos, dentre eles Inês de Castro – Rainha Morta (2005). Este ano participou do seriado A Lei e O Crime, na TV Record.

Cronograma de Apresentações
01 de Outubro, às 15h – Tijuca Tênis Clube – Tijuca
06 de Outubro, às 15h30 – SESC Engenho de Dentro
14 de Outubro, às 14h – Centro de Artes Caloustre Gulbenkian – Praça Onze
15 de Outubro, às 13h30 – Instituto Benjamin Constant – Urca
18 de Outubro/10, às 11h – Planetário da Gávea
21 de Outubro, às 15h – Colégio Estadual João Alfredo – Vila Isabel
22 de Outubro, às 16h - Escola Municipal Presidente João Goulart – Tijuca
27 de Outubro, às 16h – SESC Tijuca – Tijuca
Ficha Técnica
Coordenação - Juliana Texeira
Administração - Acacio Velloso
Assistente Social - Maria Ignez Lopes
Assistente de Produção - Paulo Tavares
Assistente Base - Leticia Mota
Monitor - Romulo Cavalcanti
Programador Visual - Dudu Damm
Interpretação - Marcia Nunes
Preparação Corporal/Vocal - Helena Vieira
Cenografia - Jorge Dias Barbosa
Figurino - Danielle Maranhão
Caracterização - Francisco Morgado
Iluminação - Maurício Cardoso
Sonorização - Fábio Campos